Este texto é parte integrante do Blog "a luz dA Luz"

 

Clique e faça uma visita, para ler sobre outros assuntos ligados ao espiritualismo e evolução.

 

 

Sobre a suposta traição de Judas...

De: Eduardo Rosinelli

 

 

Hoje comemoramos a Páscoa.

 

Este é um período em que lamentamos a morte de Cristo e 3 dias depois comemoramos a sua ressurreição. É o fim da Quaresma, um dos períodos mais obscuros do ano.

Neste período relembramos também daquele que (supostamente) traiu Jesus: Judas Iscariotes.

 

Por que insisto em dizer: “supostamente”?

 

Não sei bem o porquê, mas sempre senti algo diferente nesta história. Eu nunca consegui ver o Apóstulo Judas como um ser trevoso que deliberadamente trairia o seu Mestre.

E sem uma explicação lógica, sempre me incomodei em ver “A malhação do Judas” que sempre aparece na TV nesta época.

 

Voltando: Sempre imaginei que Judas foi apenas uma peça, uma engrenagem de grande importância no cumprimento de uma profecia e que pagou um grande preço pela realização de sua missão.

 

E o que era uma simples “imaginação”, virou uma certeza após eu assistir ao programa “O Evangelho de Judas” que está passando no History Channel.

 

O programa nem foi tão bom, pois se dedicaram mais à história do documento em si do que no seu conteúdo, o que com certeza seria bem mais interessante.

 

Mas vale ressaltar algumas passagens que realmente me fizeram refletir e me trouxerem novos conhecimentos sobre assuntos que antes eu ignorava. Dentre os quais, saliento:

 

·        O Evangelho de Judas foi descoberto em 1978 no Egito, por um fazendeiro que estava à procura de tesouros e acabou encontrando uma caixa de pedra, dentro da qual estava um livro de capa de couro, contendo as páginas do Evangelho;

 

·        O Novo Testamento foi determinado no ano 180 d.C., por um único homem, conhecido como Bispo Irineu. Em um período em que os Cristãos eram perseguidos e mortos por Roma, ele escolheu os Evangelhos de Mateus, Marcos, Lucas e João, como os Evangelhos Oficiais, que fariam parte do Novo Testamento da Bíblia;

 

·        Nesta ocasião, o Bispo Irineu estava de posse de mais de 30 Evangelhos dentre eles o Evangelho de Tomé, de Maria Madalena e de Judas Iscariotes;

 

·        Foram escolhidos os 4 Evangelhos de maior repercussão na Época. Porém poderia ter sido escolhido um quinto Evangelho, justamente o de Tomé que era bem popular. Porém, algumas palavras deste Evangelho não condiziam com a postura da Igreja e sendo assim foi descartado; E tudo isso ficou a cargo da decisão de um só homem!

 

·        Os Evangelhos oficiais não foram escritos necessariamente por Mateus, Marcos, Lucas e João. Acredita-se que estes textos tenham sido escritos pelos “gnósticos”, que se basearam nos ensinamentos dos seguidores de Cristo, após sua morte;

 

·        O Evangelho de Judas, também foi escrito pelos gnósticos. Neste evangelho, Judas era visto como um herói, ou seja, aquele que ajudou na Libertação da Alma de Cristo;

 

·        Os chamados “gnósticos” eram pessoas que viviam à margem das Igrejas, pois acreditavam no auto-conhecimento. Tiveram peculiar interesse pela história de Jesus e colocaram no “papel”, ou melhor, no “papiro”, tudo aquilo que ouviam sobre a Vida e Morte do Filho de Deus. Os gnósticos foram os primeiros “Cristãos Místicos”, aqueles que acreditavam ter contato direto com as Divindades, sem depender do poder das Igrejas e Sacerdotes da Época”.

 

·        Nota 1: O que me causaria um certo espanto é alguém ter decorado todo o “Sermão da Montanha” para escreve-lo mais de 50 anos depois. Mas sei que o Sermão da Montanha não foi escrito baseando-se na memória de alguém. Ele foi psicografado junto àquele que escreveu o Evangelho de Mateus (que possui o discurso completo);

 

·        Acredita-se que os Evangelhos do Novo Testamento foram escritos muitos anos depois da morte dos 4 Evangelistas;

 

·        O Evangelho de Judas não faz referência alguma à crucificação de Cristo. Neste Evangelho, salientam-se apenas as mensagens do Mestre estando ele em plena Vida. A narrativa termina exatamente no momento da “traição”. Momentos antes, Jesus explica a Judas a sua missão e a sua grandeza entre os demais. E salienta a real importância de sua atitude, a “suposta traição”;

 

·        Nota 2: O Novo Testamento também possui as cartas de Paulo aos diversos povos, além de cartas de outros apóstolos, dentre as quais destaco O Apocalipse, de João. O Apocalipse será tema de um dos meus próximos textos. Porém a parte principal é justamente os 4 Evangelhos, que contém a história de Jesus Cristo.

 

 

Pois bem, o programa nos fez estas revelações. Mas durante a semana eu fiz algumas pesquisas, pensei bastante a respeito do que vi no programa, reli alguns trechos dos Evangelhos oficiais e cheguei a uma conclusão: Judas Iscariotes não foi um traidor.

 

Ele apenas cumpriu uma missão de grande importância e que lhe foi imposta antes mesmo de seu nascimento terrestre.

 

Citarei alguns fatos importantes que defendem esse pensamento:

 

     Ao escolher e aceitar os 12 apóstolos, Jesus sabia muito bem quem era cada um deles e qual seria a missão de cada um. Inclusive a missão de Judas;

 

     Judas era uma espécie de tesoureiro do grupo, um cargo de relativa confiança, sob a coordenação de Mateus, o responsável financeiro. Judas não se sentiu muito a vontade ao ter que responder diretamente para o ex-arrecadador de impostos. 

 

     Quem condenou Jesus à Crucificação foi o próprio povo, que gritava pela liberdade de Barrabás e pela morte de Cristo, mesmo com os argumentos de Pôncio Pilatos: “Mas o que este Homem fez de mal?” – Marcos 15;14 – Jesus Cristo foi condenado pelo mesmo povo que ensinava e curava dias atrás;

 

     A História da Crucificação já estava escrita há séculos e naquela noite a profecia se cumpriria – “Eis que é chegada a hora. O Filho do Homem será entregue nas mãos dos pecadores” – Mateus 26;45.

 

     Jesus entrega-se ao seu destino – “Ou pensas que eu não poderia agora orar a meu Pai e que ele não me daria mais de doze legiões de anjos? Como, pois, se cumpririam as Escrituras, que dizem que assim convém que aconteça?” – Mateus 26;53,54. – Preste atenção: “...assim convém que aconteça”;

 

     Judas arrepende-se, sem ter ciência de sua missão – “Pequei, traindo sangue inocente. E ele, atirando para o templo as moedas de prata, retirou-se e foi-se enforcar.” – Mateus 27;4,5.

 

     Há o que se refletir sobre esta passagem: “Entrou, porém Satanás em Judas...e foi ter com os principais dos sacerdotes” – Lucas 22;3,4. - Porque é citado o Satanás em uma missão que já havia sido profetizada? Será que Judas estava se recusando a trair o Mestre e dessa forma o Mal teve que atuar junto a ele?

 

     Outra passagem digna de reflexão: “E na verdade, o Filho do Homem vai segundo o que está determinado; mas ai daquele homem por quem é traído.Lucas 22;22 – Sim, o destino de nosso Mestre já estava determinado, mas qual seria a condenação para aquele cujo destino também estava pré-determinado, o de amargar o título de traidor por toda a eternidade. Seria esta sua missão e condenação?

 

     Qual seria o real papel de Judas na prisão de Jesus, se tal fato poderia ter ocorrido a qualquer momento, pois Jesus circulava livremente pela região. “Tenho estado todos os dias convosco no templo e não estendestes as mãos contra mim, mas esta é a vossa hora e o poder das trevas” – Lucas 22;53 – Talvez a profecia citasse a “traição por aquele de maior confiança”;

 

     Agora na visão de João, temos a certeza de Jesus, e a tentação de Judas: “Ora, antes da festa da Páscoa, sabendo Jesus que já era chegada a sua hora de passar deste mundo para o Pai, ... E acabada a ceia, tendo já o diabo posto no coração de Judas Iscariotes, filho de Simão, que o traísse.” – João 13;1,2. – Eu ainda creio que Judas estava relutante no cumprimento de sua missão;

 

     O texto de João é diferente dos demais textos no que se refere à prisão de Jesus. Nos outros Evangelhos, Judas beija Jesus, para mostrar aos soldados do templo quem seria o Cristo. No texto de João, o próprio Jesus se apresenta como sendo o Cristo e Judas apenas levou os soldados ao Getsêmani, onde supostamente ele estaria com os seus discípulos. Sendo assim, volto a dizer: A prisão de Jesus não poderia ter ocorrido no dia seguinte, sem envolver a participação de Judas? Veja a seqüência dos fatos, relatada em João, Capítulo 18: Judas e os soldados chegaram junto a Jesus e este pergunta: “A quem buscais” – No que lhe responderam: “A Jesus, o Nazareno” – “SOU EU”: Disse Jesus em tom de voz tão forte que derrubou vários soldados ao chão. E Jesus pede que o levem e que deixem os demais livres;

 

     Agora vem a parte mais complexa - aquela em que Jesus ordena a Judas que este vá buscar os soldados: Em João, 13;21a30, quando questionado sobre quem seria o traidor, Jesus diz: “É aquele a quem eu der o bocado molhado. E, molhando o bocado, o deu a Judas Iscariotes, filho de Simão. E após o bocado, entrou nele Satanás. Disse pois Jesus: O que fazes, faze-o depressa. ... E tendo Judas tomado o bocado, saiu logo. E já era noite”. Momentos depois eles se reencontrariam no Getsêmani, pela última vez. O fato de Satanás ter sido citado novamente me dá a certeza de que Judas estava relutante em cumprir a missão. Ele não queria trair o Mestre.

 

 

Pois bem. É uma história que já é contada há 2.000 anos, mas eu sinceramente acho que essa história deve ser compreendida, levando-se em conta o papel de nosso Mestre Jesus Cristo na salvação da humanidade e na transmissão de sua mensagem de Amor e Fé.

 

Muito se conhece sobre o nascimento e morte de Jesus. Muito se fala e se representa a respeito de sua crucificação de seu sofrimento nos últimos momentos de sua vida.

 

Mas eu realmente creio que o importante é a Mensagem do Mestre, as suas diversas parábolas, os ensinamentos do Sermão da Montanha, a importância de a todo instante lembrar aos seus seguidores: “Vá em Paz, a Tua Fé te salvou!

 

Com sua morte, ele “lavou os pecados do mundo”, mas com sua VIDA ele nos deu um caminho em linha reta, uma direção certeira rumo à Morada do Pai.

 

Creio realmente que sejam nessas lições que temos que nos concentrar e conseqüentemente, agir com base nelas.

 

Informo a quem interessar possa, que Judas hoje é um grande Ser de Luz.

 

Uma boa semana, Paz a todos.

 

 

Curta a fanpagea luz dA Luz” no Facebook e tenha acesso a mais orações e informações sobre Espiritualidade. Clique aqui!

 

 

 

Visite o Blog  “a luz dA Luz”

 

a luz dA Luz

no Facebook

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

_